A atitude nada mais é que a predisposição que alguém tem de agir de modo particular diante de algumas situações. Desse modo, uma atitude negativa num contexto, reconhecidamente perigoso, para a integridade do indivíduo (como por exemplo, evitar ficar de pé na beirada do quadragésimo andar de um edifício, entrar no meio de uma torcida organizada com uma camisa do time de futebol adversário, pegar a linha vermelha ou amarela no Rio de Janeiro especialmente de madrugada) é na verdade, benéfica. Em outros momentos, uma atitude cética pode significar um desperdício de oportunidade; às vezes, a oportunidade de toda uma vida. Eventualmente uma atitude “tudo ou nada”, uma indômita vontade de superação, transforma um placar extremamente desfavorável em uma vitória retumbante, conforme o relato a seguir:

‘‘Depois de anos trabalhando com empregado, apareceu uma oportunidade de montar meu próprio negócio. A oportunidade era boa, mas cheguei à conclusão, com minha esposa, que não teria como aproveitar a chance apenas com meus próprios recursos. Através de um amigo em comum, fui apresentado a uma pessoa da cidade em que moro que atua como investidor em novos empreendimentos, em troca de uma participação societária.

‘‘Conversamos sobre o empreendimento e em função da confiança obtida devido a um amigo em comum, tive o aval do investidor no que diz respeito à disponibilidade e à liberação dos recursos necessários para obter a parceria com uma forte empresa ligada ao setor automotivo.

‘‘No dia seguinte, peguei o avião, fui a São Paulo e confirmei minha entrada no negócio proposto, quando fui informado que deveria depositar, no dia seguinte, R$ 100.000,00 na conta da empresa parceira a título de compra de estoque inicial. Ao sair da reunião, contatei o investidor-sócio falando a respeito do depósito a ser feito, no dia seguinte, quando ele me disse que havia desistido do negócio.

‘‘Fiquei estarrecido, liguei para nosso amigo em comum, que conversou com o investidor pelo menos 4 vezes durante o dia, dizendo que seria uma situação complexa a desistência dele sem uma explicação adequada, que minha reputação estava em jogo, e em resumo, que essa era uma atitude incompatível com o que foi cuidadosamente combinado. Nesse ínterim, era 4h da tarde, quando recebi uma ligação da empresa, em São Paulo, confirmando para o dia seguinte o depósito e detalhes que envolviam documentação do contrato que seria firmado. Controlando meus impulsos, procurei aparentar calma, como se nada tivesse acontecido. Confirmei toda a operação e todos os detalhes. Afinal de contas, tinha certeza de que, se não conseguisse aproveitar a oportunidade que tinha à frente, dificilmente conseguiria outra depois.

‘‘Quando meu amigo me disse que o investidor estava irredutível e mostrava-se impassível diante da situação, decidi que eu mesmo diria algumas “boas verdades” a ele, não importando se ele era um homem poderoso ou não. Era 19h. Peguei o telefone e, numa atitude de desespero, disse a ele que não sei que tipo de negócios uma pessoa do nível dele estava acostumada a fazer e com que tipo de pessoas. Reiterei que o procurei devido a recomendação de um amigo em comum que confiava nele , mas que estava decepcionado com o que ele fez. Disse –lhe que antes agora que depois, pois a decepção seria maior. Mas que, diferente dele, eu era um homem de palavra e que se ele não fosse rever a situação, eu mesmo trataria de ‘dar de dedo na cara dele’, pois fazer outras pessoas de tolas não é um papel de uma pessoa digna.

‘‘Do outro lado da linha, o investidor soltou uma sonora gargalhada e, então, fiquei atônito. Era como se ele debochasse de mim e fui ficando mais nervoso. Ele disse que se eu, como alguém que abraçava a oportunidade da vida, desistisse perante a primeira dificuldade, não serviria para ser sócio dele e era essa a atitude que ele esperava de mim. Ele me parabenizou e, no dia seguinte, fez o depósito necessário. Daí em diante, passei a ser um empresário e sempre me lembro desse episódio diante de dificuldades.’’

Fala-se muito de atitude positiva diante dos desafios da vida, mas acredito que a expressão atitude construtiva é a mais adequada para muitas situações, pois ela torna clara a possibilidade de, obter de qualquer situação, algo que possa nos ajudar a “construir” sobre nossa experiência. Vamos explorar algumas situações em que o uso de atitudes construtivas pode fazer uma grande diferença na contribuição para o sucesso do indivíduo.

Como falaremos, não importa a área, uma atitude construtiva faz grande diferença. Falaremos a seguir sobre a atitude e a preparação aplicando aos estudos.